Terça-feira, 11 de Julho de 2006

Coxos contestável?

Há uns dias no México passou-se um evento formidável, principalmente nos dois a três primeiros dias. Um WCT neste momento exige ondas, mas não exige só um bom swell como também uma onda de qualidade; talvez por isso a Quiksilver asiática tenha retirado o Japão da sua lista de eventos do WCT, e nos próximos anos, se não for escolhida uma data diferente para o Brasil o futuro de um WCT neste país será extremamente difícil. Na ressaca do Rip Curl Search ficou a certeza que em poucos dias o nome do México ficou associado a altas ondas e novas prespectivas turísticas. Para lá dos beneficios económicos que nascem deste tipo de eventos para as comunidades locais, a curto e a longo prazo, foi possível observar a melhoria considerável dos surfistas locais, principalmente os mais novos que absorvem mais facilmente os movimentos dos surfistas mais experientes. Uma coisa é ver estes surfistas bestiais a surfar ondas no outro lado do mundo, outra é verem-nos a fazer surf em ondas iguais às que surfamos, a comparação é mais fácil, a observação de um surf diferente que se descobre com os outros que têm diferentes experiências é de um valor inestimável. No México os locais estavam boquiabertos com a capacidade que os atletas tinham de apanhar a onda muito para lá do pico que se usa normalmente, mais no outside. A maneira como se encara a onda torna-se diferente, a escolha de manobras também...


Em Portugal tem sido discutido se se poderá apresentar ou não um WCT nos Coxos, a onda é reconhecida como a melhor de Portugal, dificilmente é um segredo ao contrário do que fazem querer,e a passagem dos atletas do WCT só poderia torná-la melhor. Em contraponto temos os factos de que é uma onda num sitio difícil de criar uma infraestrutura e tem uma presença de locais forte e defensiva. É evidente que o WCT nunca podeira passar apenas pelos Coxos, em Portugal tinha de ser móvel como o do Brasil é, quase com um espaço ilimitado para instalar toda a logistica necessária. Mas os Coxos teriam de fazer parte do locais utilizados. Isso seria bom para a Ericeira, da mesma maneira como foi para o México, a nível de surf, económico, daria oportunidade aos surfistas locais para se destacarem, mostrarem a sua abordagem já mais rotinada em confronto com surfistas habituados a mudarem o repertório e a criar novas abordagens. Ou não? Deve-se deixar os coxos apenas para o free surf e para os assaltos a carros?



Inserido por Miguel Bordalo
publicado por Saposurf às 19:34
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Pedro Henriques a 10 de Setembro de 2006 às 02:19
Acho indecente como alguem pensa em fazer um WCT nos coxos! Aquela onda é unica cá em Portugal e deve-se preservá-la ao máximo!Fazendo la um evento com essa importânci la nos coxos, só ia afectar o ambiente de la e ia para la muito mais crowd do que há hoje em dia! KEEP COXOS FREE

Comentar post

Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

PESQUISAR

 

POSTS RECENTES

TOP 10 HISTÓRIAS DE 2007 ...

O Havai

Centros de Alto Rendiment...

O Cristiano Ronaldo do Su...

SACA TUDO NO WCT

A nova geração

Vem aí o mundial

Mais 20 por favor

Chegaram?

O Tubo

ARQUIVOS

Janeiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Maio 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Março 2006

Agosto 2005

Maio 2005

blogs SAPO

subscrever feeds